Pular para o conteúdo principal

A música pop morreu ou foi só o seu bom gosto?


‘Que toquem as trombetas, a salvadora do pop enfim chegou’, talvez seja dessa maneira que alguns imaginam quando a “salvação” da música pop chegar, ou de uma maneira mais ridícula quem sabe, aguardando supostas rainhas e princesas que para muitos são as únicas coisas boas da música pop, sim, porque é mais fácil limitar o pop do que aceitar que existem artistas melhores do que a diva fulana de tal. 

Mas por que algumas pessoas pensam isso? Por que tanta preguiça de buscar algo melhor que esteja fora dos charts? Os charts nada mais é do um tribunal de injustiças onde quem tem mais dinheiro vence, não importa a bosta que fale, simplesmente vence, e quem vive de jovem pan acaba perdendo uma tonelada de coisa boa, tipo essa:


O pop não morreu, nunca morreu, só deixou de ser número 1, quem virou pó foi o seu bom gosto, que se limitou a ouvir apenas os charts e ignorou as “flopadas”, e isso não é de hoje. Uns dizem que o pop morreu em 2003, outros em 2008, até hoje não vi ninguém que carrega essa “critica” virar uma gótica das trevas parando de consumir música pop, eles não percebem o quanto isso não faz sentido.

Quem não lembra do icônico (SIM) Bionic de Christina Aguilera? O disco veio carregado de músicas bem escritas com produções futuristas, mas logo foi chamado de fracasso porque não vendeu muito. O mesmo aconteceu com o All I Need da Foxes e o maravilhoso EMOTION da Carly Era Jepsen, discos que passaram desapercebidos pela grande indústria que pra variar, deu espaço para “farofas”, que pra quem não sabe, são músicas vazias com batidas previsíveis de fundo.



Repito, A MÚSICA POP NÃO PRECISA SER SALVA, nunca precisou, todo ano tem uma tonelada de música boa quem nem sequer chega perto da posição 200º, se você prefere ouvir os charts, ok, mas não seja injusto em chamar de fracasso algo com qualidade, luxo, poder, riqueza e sedução, se você nunca experimentou gourmet não critique enquanto se delicia com fast food.

Conheça a autora do post , acesse agora: Falaberenice.blogspot.com

Postagens mais visitadas deste blog

Símbolos Divinos: O Olho de Hórus e o Olho que tudo vê †

O simbolo mais usado de todos os tempos "O olho de Hórus" promove uma sensação boa (em mim) em muitos e ruim em alguns (nas pessoas que não conhecem sua história e acha que é algo satânico, oi?), o que muitos desconhecem é que o olho de Hórus não tem o mesmo significado do  "Olho da Providência" também conhecido como "Olho que tudo vê", que é usado de forma correta e as vezes incorreta, saiba um pouco mais sobre a diferença do significado de ambos.

13 Situações que aconteceram no Carnaval 2017 provam que o mundo não tem mais jeito

Depois de abrir seus olhos sobre a verdadeira face do Carnaval, no post 18 Coisas ridículas que acontecem no Carnaval e você nunca percebeu , aqui estamos nós mais uma vez para salvar sua vida com o top: 13 Situações que aconteceram no Carnaval 2017 provam que o mundo não tem mais jeito.

Uber pra que te quero?



Roberta, do 'BBB 17', faz ensaio sexy e temos 20 provas de que o internauta anda mais escroto

A Roberta, ex BBB 2017 mal saiu da casa e já começou usufruindo de seus cinco minutinhos de fama e tem muita gente com invejinha disso, sim!

Tudo estava indo bem com as notícias relacionadas ao ensaio da sister, até nos depararmos com diversos comentários escrotos na publicação sobre a foto da moça no site Ego. Selecionamos um comentário pior que o outro, mesmo assim sempre tem um que se salva:




01 - Síndrome de Peter Pan do Bullying!  02 - Não pode ver um MC Donalds e acha que todo mundo é igual
03 - Perdendo a virgindade...
04 - Mais um pros quinze milhões de desempregados/desocupados na internet!  05 - Vivemos uma opressão  06 - Melhor desculpa de quem não tem como pagar...  07 - Não ter espelho em casa a gente vê por aqui!  08 - A família tradicional brasileira também usa internet e tá sem dinheiro  09 - Como se alimentam? De onde vieram?  10 - Novo bordão no sense de uma recalcada anônima  11 - Invejosiane sofre ataque transfôbico  12 - A realidade de quem faltou nas aulas de redação