Pastor sugere que executem gays por um "Natal livre de Aids"


Engana-se quem acredita que existem pessoas de pensamento homofóbico como Feliciano, Cunha e Bolsonar apenas no Brasil. Em países de primeiro mundo como nos Estados Unidos, o pastor evangélico Steven Anderson, do Arizona, propôs aos fieis que ajudem a criar um mundo melhor neste Natal. Segundo ele, “o mundo pode se livrar da AIDS até o Natal se todos os gays forem executados”.

Ainda segundo ele, membros da comunidade LGBT são “portadores de diversas doenças por causa do julgamento de Deus”. Para ele, homossexuais e bissexuais são pecadores e sodomitas. Para não deixar de ser um clássico o pastor cita o trecho de Levítico 18:22 - “Se um homem se deitar com outro homem, como se fosse com mulher, ambos terão praticado abominação; certamente serão mortos, o seu sangue será derramado sobre eles”.

“E isso, meu amigo, é a cura para Aids. Está ali mesmo na Bíblia o tempo todo, e eles gastam bilhões de dólares em pesquisa e testes. É curável – ali mesmo. Porque se você executasse os homossexuais como Deus recomenda, você não teria a Aids correndo solta”, destacou.

No início deste ano, o mesmo pastor condenou o divórcio e disse que quem se casa mais de uma vez está cometendo adultério. Ele também defende a tese de que mulheres não podem se manifestar nas igrejas. “Elas precisam ficar em silêncio”.

E você aí achando que se mudando do Brasil para outro país evitaria gente com esse pensamento, quem sabe de mudança para Marte ou Júpiter as coisas não melhoram, né?