Que nota ARTPOP merece? Analisamos faixa a faixa o novo disco de Lady Gaga, está imperdível!


Depois de tanta espera e ansiedade a flor da pele, o disco mais aguardado do ano ARTPOP, enfim será lançado mundialmente no início da próxima semana (11), porém, como era de se esperar, vazou na rede por conta do lançamento adiantado em Hong Kong e Japão.

Com 15 faixas, o terceiro álbum de Lady Gaga traz uma variedade de ritmos, mais dedicados ao eletrônico, significados fortes, crítica ao cotidiano, entre outras ideias referentes à sua arte, como a própria diz - ARTPOP é uma celebração de seus discos anteriores. A cada faixa há uma explosão de sentimentos, te faz sorrir, chorar, e gritar calorosamente. Ótimo pra ouvir com os amigos com muitos copos de bebida. 

Preparamos uma análise critica de todas as canções, que gostando ou não, vale a pena ouvir profundamente, é diversão na certa. Como a própria Diva diz: STOP THE DRAMA, START THE MUSIC.

Aura 

Ha ha ha, ha ha ha ha, ha ha ha, ha ha ha ha (x3)

Oh ra ah ah (x6)



O ritmo inicial da canção remete ao árabe com uma voz pesada. Após Gaga afirmar ter matado seu antigo eu (Stefani), uma risada propositalmente amadora e uma repetição que lembra Bad Romance dá inicio a Aura. 

Do you wanna see me naked, lover?/ Do you wanna peak underneath the covers?/ Do you wanna see the girl who lives behind the aura?

O ótimo refrão da música deixa claro uma revolução feminista: o gosto pelo início sexual, mesmo dentro de uma sociedade que julga a exposição. Também pode estar relacionado a carreira de Gaga, a Burqa pode ser a imagem da censura que ela sofreu principalmente em alguns países muito conservadores durante a Born This Way Ball. 

Do you wanna touch me cosmic lover?


Aura tem um conceito perspicaz, que vai da realidade a fantasia sexual, uma amostra de vida e fama, oprimindo o machismo que alguns países sustentam. A Aura seria as vontades da mulher, seus desejos, suas escolhas, sua vestimenta, sua fama e seus ideais. Sem dúvida um pop dance bem diferente dos que costumamos ouvir, repleto de cultura, não faria feio em uma rave.

Venus

Rocket number 9 take off to the planet / To the planet / Venus



O início da música é uma brilhante referencia ao músico Sun Ra, que aparece também como produtor da faixa. Venus é algo diferente e difícil de entender na primeira vez que escuta, mas prestando atenção nos detalhes, encontra-se trechos da mitologia greco-romana, astronomia, astrologia e até um pouco de sexo.


As referências a pintura renascentista "O nascimento de Venus" de Botticelli são evidentes (reproduzida também no clipe de Applause), assim como a Deusa do amor e da beleza de mesmo nome, conhecida popularmente como Afrodite, filha de Júpiter (Zeus). 

When you touch me I die / Just a little inside / I wonder if this could be love / This could be love

Esse trecho é mais pessoal, Gaga pode estar se referindo a seu namorado, o ator Taylor Kinney, já que a própria contou que a canção era pra seu amor. A parte "Quando você me, toca eu morro só um pouco por dentro" seria uma insinuação ao orgasmo, quando o homem a toca leva ao ápice do prazer, uma forma de amor.

O refrão tem uma pegada chiclete sem ser cansativa. A produção é um tanto confusa, com um ar futuristico como tivesse sido gravado na galáxia, com vozes estranhas de fundo. Algo dificil de ser digerido, porém se torna viciante a cada instante que se ouve.

G.U.Y

Greetings from Eros / God of sexual desire, son of Aphrodite / Lay back, and feast as this audio guides you through new and exciting positions

O inicio de música mostra algo extremamente sexual. Mais uma vez, nota-se figuras da mitologia greco-romana, que servem apenas de introdução. Gaga revela querer ser uma garota submissa, o que se trata de um ironia. No verso "Irei vestir a toalha, o poder de te deixar / Tenho o objetivo de controlar completamente esse amor" é uma armadilha para o homem que ela tanto deseja. Ela afirmar que ele será seu dono, mas na verdade será o contrário.

Irei dizer a palavra / E dominar você / Você será minha G.A.R.O.T.A. / Garoto, sou romance e amor irá prendê-lo / Sabe, você fica bem com a minha maquiagem

Há um troca de papéis evidente. Um homem pode achar que terá uma garota submissa para contralá-la quando quiser. Mas pode se enganar com seus pensamentos machistas e ser o capacho de uma mulher. Você pode se render e ser controlada por um homem pelo resto da vida, ou se for esperta, irá aprender a controlá-lo. Uma música feminista.

I wanna be that guy (G.U.Y.) / The Girl Under you (GUY)

G.U.Y seria um otimo single para o disco, tem um produção altamente suave e dançante, além do refrão chiclete. Uma música para a rádio inteligente e que tem tudo para virar um hit.

Sexxx Dreams

Ouvi dizer que seu namorado está fora esse final de semana / Quer me encontrar na minha casa? / Ouvi dizer que nenhum de nós tem nada para fazer / E eu deito na cama, me toco e penso em você


O trecho mostra claramente que se trata de uma garota na qual a estrela se excita todas as noites. Chegando a se masturbar na constante imaginação de tê-la. 

Last night / Damm, you were in my sexxx dreams

A música apresenta algumas alterações da versão ao vivo, alguns versos extras que torna o refrão mais sexy, e uma batida mais forte. Os três 'x' pode ser uma imagem de orgasmo perpétuo que ela atinge nos sonhos. 

Jewels n' Drugs (feat. T.I., Too Short and Twista)

Uma das mais explicitas, Jewels n' Drugs foi escrita e produzida apenas pela própria intérprete. Com poucas mudanças da versão live, é otima pra remecher, e brinca um pouco com o lado rapper da artista, já que os fãs amaram Cake Like, que também será divulgada através do aplicativo junto com outras canções que ficaram de fora. A batida extendida antes da parte do Twista no Itunes Festival faz falta. Faria bonito em uma festa em Ibiza.

MANiCURE


Fala sobre uma garota que está viciada em um homem que a faz sentir cada vez mais viva. Ele é o remédio para a sua insegurança, o que o torna uma droga de tão viciante, ela precisa ser curada no sentido de não pensar apenas nele o tempo todo.

Sou eu que estive ao redor, olhando e amando você / Você é o remédio, preciso curar a forma que você faz eu me sentir

A produção faz lembrar uma balada dos anos 80 tocada em clubes noturnos. A favorita de Adele ganhou trechos diferentes que tornou tudo mais chiclete. 

Obs: MANiCURED' é um jogo de palavras que significa que ela será curada por homens e 'manicures' (salões de beleza, roupas, maquiagem, etc.)

Do What U Want (feat. R. Kelly)



Como já falamos aqui, Do What U Want é uma critica a mídia e a pessoas superficiais, que preferem dá atenção a coisas como "um corpo gordo" do que a assuntos realmente importantes. 

A letra fala por si, 'Faça o que quiser (Com meu corpo), mas você não vai conseguir entrar na minha mente' o que leva a capa do segundo single de ARTPOP, "Você quer tanto falar da bunda de Lady Gaga? Não só fale, mas compre, porém não vai impedir o que ela diz ou quer ser". Você pode ter a bunda, mas não o coração.

A canção tem um instrumental comum de musica eletrônica dos anos 80 e 90. As vozes da cantora com a de R. Kelly se encaixam perfeitamente, tornando tudo mais puro e original. Vênus e Do What U Want ganharam uma performance simples porém deslumbrante no programa de caça talento X-Factor.

ARTPOP


A que dá título ao album, é uma das melhores coisas que Gaguinha fez na vida, deliciosa e moderna. "Meu ARTPOP pode significar qualquer coisa", nesse verso a cantora afirma sua ideia de que ninguém pode determinar a sua arte, além de você mesmo, a arte não pode ser limitada.

Swine

Sem o começo calmo cantado no Itunes Festival (infelizmente) a canção tem um inicio estranho que se torna um viral dance quando a cantorar gritar "SWINE". O interessante é que antes de Do Whant U Want, Swine tinha vazado, mas todos (inclusive nós) acharam que era uma versão fake resmaterizada, não dando importancia para a mesma. Swine fala sobre os famosos "lobos em pele de cordeiro".

Hush up, don't speak, don't wanna hear another / Not another word / You're just an ani-mal

Gaga fala sobre as muitas celebridades e mídias (TV,internet, revistas) que a criticam a todo tempo por alta publicidade. E as pessoas falsas que podem estar ao nosso redor fingindo ser nossas amigas por interesse. Perez Hilton? 

Donatella


Pelo título todos sabem que a décima faixa foi feita para a Donatella Versace, estilista amiga de Lady Gaga. 

O que você quer usar nesta primavera? / O que você acha que é a coisa nova ? / O que você quer vestir esta temporada? / Donatella!

O inicio com um som de bebida sendo colocada no copo, se transforma em um estrondoso pop eletrônico, com um refrão louco que te faz gritar.

Listen to her radiate her magic / Even though she knows she’s misunderstood / Voodoo voodoo, vooda-da-da/ Vooda-da-da

Gaga fala sobre a magia que Donatella faz com suas criações que bombam no mundo da moda, e que as vezes é mal compreendida pela mídia, assim como quase tudo que a cantora faz. Uma das melhores do album, seria com certeza uma otima escolha para continuação de Telephone.

Fashion!

David Guetta e Will I. am também produziram a canção. Todos imaginavam ser uma eletrônica magnífica como Donatella, mas Fashion! traz uma sonoridade retrô e gostosa. A música fala do prazer que a moda proporciona, sem ser de forma material.

Porque o seu novo visual é imaterial / Com boa aparência e se sentindo bem

Usar algo que lhe agrade para se sentir bem, não é ser materialista. Precisamos disso ou daquilo para nossa alta-estima ir a mil, não precisa ser caro, o que importa é a sensação de se sentir incrível para sair com os amigos ou desfilar no seu quarto.

Mary Jane Holland

A mais longa do disco, e talvez a mais perzpicas e forte. Uma narração do que os fanáticos religiosos e haters pensam sobre a artista.

A Lady dos condenados / Não será uma escrava da loirice / Ou da cultura popular / Ela não vai, ela não vai



Os condenados seriam a comunidade LGBT que Gaga tanto luta a favor, e por isso é chamada de "Lady dos condenados" já que toda ela é julgada e dita como condenada ao inferno pelas igrejas. Ao dizer "escrava da loirice" pode ser interpretado da forma de que loiras são rotuladas de burras pelo motivo da cor do cabelo, os fios amarelos que Gaga ou qualquer mulher usa ou usou não determina as suas ideias de mundo melhor. A cultura popular seria o padrão da sociedade, como: só pode existir casamento heterossexual, etc. Ela não pertence a esses pensamentos.

Cantar com você, eu irei / Voe fora do radar / Faça pactos com todo demônio à vista / Eu irei, eu irei

Gaga brinca com as declarações de alguns que a chamam de filha do demônio. Afinal, tudo que vai contra ao que a religião determina é acusado de "pacto com o diabo", então se ter seu ponto de vista sobre certos assuntos é um pacto, então que assim seja, cante e voe fora do radar (mundo padrão).

Mary Jane Holland / Whoooow - Whoooow / Mary Jane Holland

Há o uso da palavra Holland no no da garota de personalidade, e também ao país Holanda, que é rico em diversidade e modernidade. Uma produção colossal de Madeon.

Agora vamos falar da bala que matou Kennedy neste disco. Faltam palavras para falar mal do que I Wanna Be Whith You se tornou. Pela primeira vez ao invés de melhorar uma música, a fofa piorou.



Apesar da produção ser legal, DOPE não se encaixa no álbum. Pra onde foi a emoção? Será que está rondando pelo Marco Zero? Porque cá entre nós, essa música não emociona muito, a letra é muito boa, mas não convence, Gaga estava alcoolizada com baygon e água de ducha quando mudou toda a canção.

Gypsy



A favorita dessa pessoa que aqui escreve (oi?), Gypsy é a balada mais linda desse ano. Um romance sem fim. A mais pura e emocionante faixa. O "But I can be Tonight, tonight" leva a voz da artista ao topo sem deixar dúvidas de que faria bonito em qualquer lugar e daria um ótimo clipe. Sem palavras pra descrever essa pérola.

Applause 

I stand here waiting / For you to bang the gong / To crash the critic saying / Is it right or is it wrong?



O início do primeiro single do disco, pode ser uma referencia ao público que não gosta do seu trabalho e questiona tudo que ela faz. Seja um clipe, uma música, roupa ou até uma ação social. Ela sempre foi alvo de criticas sem fundamento e julgada. 

Give me that thing that I love / (Turn the lights on!) / Put your hands up make 'em touch

O verso acima, deixa explicito o que faz a artista se dedicar cada vez mais para dar o melhor aos seus fãs. Os APLAUSOS, a sensação de ver e sentir pessoas felizes aplaudindo o seu trabalho. É mais do que palmas por uma performance, uma força espiritual que envolve todos em um laço de amor e alegria, isso é o que faz Lady Gaga se esforçar cada vez mais no palco, a energia positiva de animação que o público transmite com os aplausos e gritos histéricos. É mais sobre os little monsters do que sobre Gaga. 

Being away from you?/ Put it in here, I found the vein

É como um vicio saudável, uma conexão entre o artista e os fãs, que permite a realização de um romance sem preconceitos, livre do medo.

Applause, que já nasceu clássica, é produzida pelo Dj White Shadow e é o segundo maior sucesso de Gaga nos Estados Unidos, o videoclipe passa de 100 milhões de visualizações e até agora ainda está entre as 10 mais do hot 100 da Billboard. Há muitas referencias de arte, moda e cinema nas cenas do vídeo que faz qualquer um pirar com a quantidade de informações. Belíssimo. Outro bafo são as performances (VMA, GMA), mil look's até ao vivo, e também o lyric vídeo, uma bela homenagem a público gay.



Por DOPE não ser tão boa quanto esperávamos, o disco merece nota 9.5. Vale a pena comprar o versão física, a capa feita pelo incomparável Jeff Koons, é linda. ARTPOP merece muitos aplausos, é um tipico álbum completo, com o conceito de possibilidades, seja de fazer a diferença num mundo de injustiças, ou de fazer da sua arte algo grandioso, o disco dará início a uma nova era na música pop!


Obs: A análise é feita a partir do entendimento e ponto de vista do colunista que a escreve, criticas construtivas são bem vindas. Opine!