Comissão de Direitos Humanos aprova projeto que permite templos de banir homossexuais


Depois da cura gay (que flopou) a Comissão de Direitos Humanos da Câmara liderada pelo nosso "querido" Marco Feliciano, aprovou nesta quarta-feira o projeto de lei que livra os templos religiosos, padres e pastores de serem enquadrados na lei de discriminação se vetarem a presença e participação de pessoas "em desacordo com suas crenças".

O projeto condiz em evitar que religiosos sejam criminalizados por recusarem a realizar casamentos homoafetivos, batizados ou outras cerimônias de filhos de casais do mesmo sexo ou mesmo aceitar a presença dessas pessoas em seus templos.

"Deve-se a devida atenção ao fato da prática homossexual ser descrita em muitas doutrinas religiosas como uma conduta em desacordo com suas crenças. Em razão disso, deve-se assistir a tais organizações religiosas o direito de liberdade de manifestação", disse o deputado Washington Reis, autor do projeto.

O ponto de vista foi reforçada pelo relatório do também "querido" deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ). "O alcance da lei, antes voltado mais à questão racial, tem sido ampliado, tendendo a estender proteção também à prática homossexual. Assim, [a proposta] esclarece melhor o alcance da referida norma ao diferenciar discriminação de liberdade de crença", e completou:

"As organizações religiosas têm reconhecido direito de definir regras próprias de funcionamento e inclusive elencar condutas morais e sociais que devem ser seguidas por seus membros".

O texto, que foi aprovado pela comissão formada por maioria de evangélicos, segue para votação na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara.
É lamentável ver lobos em pele de cordeiro tomando decisões que influenciam a violência e discriminação, enquanto pessoas lutam apenas por direitos igualitários e pedem respeito. De fato, os demais que aprovam esta barbaridade devem seguir Jesus apenas no facebook, por que seus passos de amor universal com certeza não! Qual será a próxima proposta de "preservar a família" desses deputados? Proibir que homossexuais tenham trabalho com carteira assinada? Acabar com a parada da diversidade, limitando nossa liberdade de expressão e amor? Só um recadinho para Feliciano e companhia...


Via: Folha de S. Paulo.
Tecnologia do Blogger.