O preconceito racial ainda existe?


Antes de começar com essa reflexão, é conveniente que tenhamos bem claro o significado e o alcance de alguns termos - preconceito, discriminação, e racismo - que são utilizados nos debates sobre esse tema:

Preconceito - conceito ou opinião formada antecipadamente, sem maior ponderação ou conhecimento dos fatos; julgamento ou opinião formada sem levar em conta os fatos que o contestem. Trata-se de um pré-julgamento, isto é, algo já previamente julgado.

Discriminação - separar; distinguir; estabelecer diferenças. Por exemplo: a discriminação racial corresponde ao ato de apartar, separar, segregar pessoas consideradas racialmente diferentes, partindo do principio de que existem raças "superiores" e "inferiores" - o que ficou definitivamente comprovado pela ciência que não existe.

Racismo - teoria que sustenta a superioridade de certas raças em relação a outras, preconizando ou não a segregação racial ou até mesmo a extinção de determinadas minorias.

Seguindo essas definições, o preconceito se expressa na sociedade, mas não necessariamente segrega ou discrimina; já a discriminação promove, baseada em certas preconceitos, a separação de grupos ou pessoas. Por outro lado, o racismo mata, extermina, produz o ódio entre grupos e indivíduos.

No Brasil existe uma certa dissimulação por parte dos brasileiros quando se fala de racismo e discriminação racial. Enfim, nosso país de "tartarugas aleijadas  é certamente multicolorido e multirracial, porém, ao mesmo tempo, a maioria dos cidadãos não gosta de discutir sobre o assunto. Mas também considera que há muito racismo espalhado em todos os lugares.

O que devemos fazer então? ser dissimulados, cegos? fingir que o racismo não existe mais? ou encarar de frente essa questão, para construirmos juntos (brancos, negros, amarelos etc) um Brasil sem racismo?

Não existe "as diferenças" somos todos iguais.