Ads Top


Varias sociedades mantiveram a supremacia masculina por diversas razões e sob diversos aspectos.
Esta longa dominação provocou exclusão sistemática das mulheres da política, do governo, da literatura, da arte – exceto em poucos e relevantes momentos.
É com certeza a exclusão mais sistemática já praticada pela humanidade. A dominação masculina se expressa hoje através do uso da violência – instutionalizada e domestica – da legislação discriminante e da dependência econômica ao marido ou ao pai.
Na dominação masculina, sempre assumiu um papel fundamental a persuasão operada contra as mulheres, na forma de ideologias.

Chamo de MACHISMO, a ideologia que através de diversas maneiras, os homens heterossexuais justificam a opressão que exercem.
Porém,as características do capitalismo favorecem a inserção  das mulheres no mercado de trabalho e isso fez com que elas pudessem sair, em parte, do próprio isolamento.
As primeiras revoltas contra a opressão feminina ocorreram no fim do século XIX, a partir dos movimentos pelo voto universal e daqueles voltados ao movimento operário.



Essas lutas ganharam maior impulso nos anos 60 do século XX, quando os espaços conquistados pelas mulheres representavam uma transformação sem precendente na própria condição feminina, mas a discriminação persiste e se manifesta na legislação contraria ao divorcio, que sobrevive em muitos países, na violência domestica, na discriminação no local de trabalho, para citar alguns exemplos, quem nunca ouviu frases do tipo: Lugar de mulher é no fogão, ou, mulher só sabe fazer compras, dentre outros absurdos.
Vivemos em um país hipócrita e machista, preso nos valores antigos. Todos reclamam perante essa situação, mas a grande maioria se sente intimidada pelos opressores (os homens).
Os homens (heteros) não suportam que mulheres se divirtam de maneira autônoma e fora das regras estabelecidas por eles. Para muitas mulheres é impensável que, casadas e com filhos saiam de casa para se divertir sem os maridos (esse tipo de pensamento não ajuda).


E o que dizer da violência? O uso dela por parte dos maridos é tolerado: A violência domestica constitui o principal problema das mulheres em todo o mundo. O monopólio da violência por parte dos homens é antigo. Nas sociedades primitivas, as mulheres eram proibidas de tocar em armas, sob pena de condenação á morte, em alguns casos.

Até quando o machismo vai dominar? Se depender da mídia, por muito tempo. O objetivo disso é habituar os opimidos a resignação, fazer com que eles se sintam inferiores, tinham inveja das classes dominantes, mas preocupando-se sempre em evitar o conflito entre as classes.
Muitas mulheres dependem economicamente dos maridos na maior parte do mundo.
A maioria da população acredita que a figura patriarcal é o centro familiar. Pois está até na Bíblia. Se no mundo de hoje mulheres estão cada vez mais independentes e corajosas pra enfrentar a sociedade machista, esses valores Bíblicos deviam cair em lapso.
Se essa geração de jovens garotas continuar lutando para liquidar o machismo que corre esse mundo. Isso faria do futuro uma coisa revigorante e colossal né mesmo? 

Tecnologia do Blogger.