Vestígios de Pimenta: Aventuras Sexuais - Ultimo Capítulo.

 Conteúdo Inadequado para menores de 18 Anos.

Clique e Relembre: Parte 1, Parte 2, Parte 3.

A festa estava bombando. Como em toda boa academia sempre tem mais homens do que mulheres. E as mulheres que tinham estavam com os seus namorados que também eram gostosos.

Eu tomei um negócio alcoólico que logo me deixou meio tonto, mais foi coisa leve. Quem parecia está bêbado mesmo era o Marcos. Ele estava com uma cara de loucão. "Poxa como é que eu deixei isso acontecer?" Eu pensei. Quando eu cheguei perto dele, percebi que tinha um carinha no maior papo com ele. Cheguei até eles, interrompi a conversa e perguntei se ele estava bem. O retardado do cara teve a audácia de dizer:

-Relaxe garoto!Ta comigo ta com deus.

Eu só olhei para ele educadamente e respondi:

-Se você não calar a boca, é você quem vai está com deus. Vai tomar no cú seu viado!

O cara se levantou e logo armou-se aquela confusão. Puxei Marcos pelo braço e percebi que ele não estava tão bêbado quanto parecia. Ele me empurrou e disse:

-Cara eu pensei que você era diferente.

Hã? Não entendi nada. Marcos sai, e quando eu iria acompanhá-lo vem o Pedro (o preconceituoso que falei no inicio da historia) e me diz:

- É interessante que as pessoas fazem no vestiário. Mesmo sabendo que aqui existe um poderoso circuito de câmeras.

O Pedro me falou que não tiraria o meu emprego,mas que aquilo não poderia se repetir.
Caralho! bye reputação.

Entendi o porque do Marcos ter ficado daquele jeito,acho que o Pedro deve ter comentado,pois eu havia transado com Marcos ali também e durante a festa algum segurança deve ter avisado. Mas uma coisa eu fiquei sem entender... Se o Pedro havia sido informado que durante a festa eu estava dando no vestiário,porque ele não entrou lá e me pegou literalmente com a boca na botija? Essa duvida eu acabei levando para casa.
Quando o Vitor ficou sabendo da história tudo o que ele disse foi:

-Isso é o que dar não medir o risco.

E aquilo lá no shopping foi o que? Fui para casa irádo.Assim que cheguei liguei para o Marcos e o mesmo não atendeu. Mandei varias mensagens e nada de retorno. Fiquei nessa até as 3 da manhã. Fui para o quarto da empregada, onde tinha sido minha ultima transa com o Marcos deitei na cama e vi na minha frente o ditado se concretizar."QUEM TUDO QUER NADA TEM" .

Finalmente chega o fim de semana. Meus pais viajaram logo cedo e quando eu acordei percebi que eu tinha a casa só para mim, mas só para mim mesmo. Eu não iria chamar o Vitor depois de toda aquela sacanagem que ele fez, bem que ele poderia ter me dado um apoio. Não iria chamar o Luan porque com ele seria um dia de sexo e nada mais (na minha namorada eu nem pensei). Tudo o que eu queria ali agora era o Marcos.

Fui para academia. Chegando lá dei uma olhada em volta e percebi que ele não estava. Naquele dia pedi para não treinar. Quando eu estava indo embora ,finalmente avisto o Marcos chegando, vou até ele e peço perdão,ele não me olha. Pego no braço dele e digo:
                                                      
-Larga de ser infantil cara,eu estou arrependido. E também eu não tenho nada sério com ninguém a não ser minha namorada.

Ele olhou para o chão e com um sorriso bem irônico disse:

-Namorada? Mais uma pobre iludida. Mas cara na boa continue assim que o seu futuro é a AIDS.

Nossa ouvi aquilo dele foi como sentir um bisturi abrindo meu peito e retirando o meu coração.
Bem que minha mãe falou "VOCE VAI ACABAR SOZINHO” E olhe para mim. Lá estava eu a beira da piscina pensando como seria se marcos estivesse ali. Foi nesse momento que eu me toquei que eu realmente sentia algo por ele,e que tinha sido necessário eu perder para eu me tocar disso.
É nessa hora que o telefone da minha casa toca,e eu logo fui atender achando que poderia ser ele,mas era a noticia mais triste que eu já recebi na vida. Meus pais sofreram um acidente onde não ouveram sobreviventes.
Meu mundo acabou ali diante do telefone. Eu me recusava a acreditar que aquela noticia era séria.
Algumas horas depois começam a chegar a minha casa alguns parentes meus. Eu estava um lixo humano,meio que sem acreditar que aquilo era realidade.
Um tempinho depois...

Finalmente chegou o ano novo era exatamente dia 31 de dezembro quando encontrei com Marcos. Estávamos em uma pracinha que ficava um pouco próximo da minha casa. Ele não falou e me abraçou. Pediu para eu ser forte e que de alguma forma aquela era a lei natural da vida.

Fomos para minha casa, e ele em momento nenhum se desgrudou de mim. Locou filmes, fez pipoca, comprou chocolate, fez tudo o que estava ao alcance dele para me mimar. Passamos a virada de ano juntos deitados na cama mais uma vez de bruços um olhando para o outro. Era um ano que terminava.
Acordamos naquele dia bem tarde. O sol estava bem no meio do céu que estava de um azul incrível. Eu sabia que tinha que fazer daquele comecinho de 2007 realmente um novo ano,pois em 2006 grande parte de minha vida ficou ali.Durante uma semana Marcos e eu ficamos apenas nos beijos e carícias. Eu não sabia ao certo o que eu tinha com ele, mas era muito bom. Era engraçado, mas eu e Marcos estávamos vivendo uma vida de casal. Íamos ao supermercado, ao banco pagar contas, coisas do cotidiano. Eu estava realmente amando aquele cara.

À noite eu fiquei sozinho em casa, pois o marco tinha ido malhar e depois passaria em casa para pegar umas roupas. Eu estava assistindo um filme que o Marcos havia locado chamado “ENCONTRO MARCADO”, gostei do filme. Estou eu lá todo distraído quando o telefone fixo da minha casa toca, e logo eu atendo e só ouço o seguinte:

-Atenda a porta.

Logo depois desligou. Quando fui olhar quem, vi o Vitor estacionado na minha porta. Eu até me assustei com aquela visita. Mandei ele entrar e ele logo atendeu.Sentamos no sofá e ele foi perguntando como eu estava e essas coisas. Ele estava com uma bermuda branca e uma camisa de manga cumprida preta. A todo o momento ele fazia questão de relembrar os velhos tempos. Eu já tinha sacado o que ele queria.
Algum tempo depois para salvar o meu dia chega a minha namorada, chorando e me perguntando porque eu não a amava.pedi licença ao Vitor e comecei a explicar tudo. Disse a ela que eu estava apaixonado por outra pessoa e que eu queria que ela entendesse tudo aquilo que estava acontecendo. Fui bem franco. Falei a ela que conheci essa pessoa quando eu ainda estava com ela. Ela cuspiu na minha cara e disse que me odiava. (Melhor assim).
Assim que minha namorada saiu (ou melhor ex) o telefone volta a tocar, atendo e ouço:

-Estou com saudades do seu cuzinho e de todo o resto.

Nossa todo o tesão que eu tinha guardado a cerca de um mês voltava naquele instante. Comecei a bater uma e logo gozei. Eu queria mais. Cerca de meia hora depois entra o Marcos. Não falei nada deixei que os meus beijos explicassem tudo o que eu pretendia aquela noite. Ele sentou no sofá, abaixou um pouco a bermuda e só disse:

-Vem ser meu de corpo inteiro.

Tirei minha bermuda e sentei naquele pauzão. Como eu estava com saudades disso, de sentir um macho me fudendo. Ele estava com as duas mãos em minha cintura. Nessa época meu cabelo estava um pouco grande, meio que caindo nos olhos. Ele puxava com força os meus cabelos e batia na minha bunda dizendo:

-To a um mês desejando esse cuzinho,então se prepare que a noite vai ser longa. 

Galopei bem gostoso e sempre dando aquelas clássicas reboladinhas que eu sei que ele adora. Era bem diferente, pois com o Vitor ou com o Luan eu sentia um pouco de dor e com o Marcos não. Eu não sei dizer se era pelo fato que ele fazia tudo com muito carinho,beijos ,abraços e olho no olho como sempre um jeito muito único de ser fazer aquilo que naquela altura já não era mais sexo...era amor, ou como o próprio Marcos dizia:" O RITUAL DE EXTRAÇÃO DO NÉCTA DA VIDA". (Eu adorei essa definição que ele deu para o que eu chamava de putaria.)

Eu me levantei coloquei minhas mãos no sofá empinei bem a bumdinha para ouvir um "É DESSE JEITO QUE EU GOSTO". Antes de ele meter pau ele beijou minhas costas todas,mordia,arranhava, dava tapinhas na minha bunda. Nossa! Ele brincava com a minha bunda como uma criança brincando com um brinquedo importado.


Eu estava adorando tudo aquilo. Finalmente ele coloca o pau dentro de mim, dessa vez ele não foi nada carinhoso, pois além de puxar o meu cabelo ele ainda metia bem forte.Como na casa só havia eu e ele, os altos gemidos saiam sem timidez. Eu adorava quando ele ia tirando devagarzinho e ainda falava:

-Vai amorzinho pede pau vai.

Ele falava isso meio que baixinho com aquela voz grossa e rouquinha que ele tinha. Claro eu logo pedia:

-Mete todo esse caralho.

Ele atendia, metia toda de uma vez só deixava as bolas de fora. Ele pôs um dedo dento do meu cú e continuou metendo isso me dava à impressão de que o pau dele era ainda mais grosso do que já era.

Ele falou uma coisa que eu não sei se eu gostei:

-O cara do vestiário metia em você assim? (ele estava se referindo ao Luan).

Eu percebi que o fato dele está metendo tão forte e tão ferozmente era um tipo de vingança por eu ter dado no vestiário (se toda vingança que vier dele for desse jeito eu vou aprontar pra caramba.). Ele continuou metendo, mas tirou o pau antes de gozar.
O quintal da minha casa é bem legal, é todo gramado e tem no meio uma grande piscina. Fomos para lá. Esse dia o friozinho da noite não nos intimidou. Ele logo deu um mergulho e me chamou, eu desci pelo degrau (e mesmo assim eu estava louco de vontade de sair dalí, a água tava fria pra caralho). Ele pegou em minha mão e me guiou até uma das bordas da piscina e me beijou. Era linda aquela visão. Os cabelos dele molhados para traz, aquela sobrancelha bem preta e os olhos verdes que se confundiam com o azul da piscina ganhando uma cor turquesa. Ele me beijava e o meu queixo batia de frio. Eu estava com as duas mãos entrelaçadas pelo pescoço dele e ele com as mãos em minha cintura. Tirei minhas pernas do fundo da piscina e as passei pelo corpo dele como se fosse dar uma chave de perna. Ele guiou o pau dele até mim e logo o meteu.
Ele continuava me beijando e metendo, eu gemia, ele metia mais. Ele foi acelerando e beijando o meu pescoço nesse dia eu gozei sem ao menos me tocar. Continuei ali mesmo depois de ter gozado. Ele continuava metendo lambendo minha orelha e logo soltou uma das suas pérolas:

-QUER YAKUT? (espécie de iogurte) ENTÃO TOME. SINTA ENTRANDO EM VOCE. E MAIS ELA AINDA VAI COM OS LACTOBACINIOS VIVOS.

Nesse momento eu ri, e ele gozou.

Continuamos nos beijando na piscina durante um bom tempo. Saímos de lá, nos vestimos, deitamos na cama e acabamos dormindo. No outro dia eu acordei cedo. O acordei para perguntar se ele iria para academia ele disse que não. Então eu fui só.
Cheguei lá por volta das 8 da manhã. Assim que entro logo vem o Pedro e me cumprimenta (Ele nunca havia feito isso antes). Nesse dia treinei com o Pedro, foi bem legal ele a todo o momento zombava de alguém me roubando risadas. Ficamos juntos cerca de 1 hora até que ele me chamou no canto e disse:

-Cara se eu comentar uma coisa você não fica bravo não?

Eu respondi que não. Ele continuou:

-Cara eu vi o seu vídeo,cara vocês são loucos. Eu confesso que nunca havia nem cogitado a idéia de comer um cara,mas seu vídeo me deu um puta tesão.

Eu não acreditava naquilo que estava ouvindo. Cadê aquele cara preconceituoso que vivia falando mal dos viados e que abominava muita gente lá na academia por ele ter desconfianças? Toda aquela mascara dele se desmontou ali na minha frente. O Pedro
Como eu falei no inicio da historia era um dos caras mais bonitos da academia, ele era muito gostoso, cada parte do corpo dele era minuciosamente bem esculpida. Eu tentava não olhar a mala dele, pois eu sabia que se eu olhasse naquele mesmo dia com a facilidade que ele estava me dando eu iria cair de boca ali. Minha boca estava salivando, minhas mãos tremendo. Eu tentava pensar no Marcos.
Durante a malhação ele sempre dava um sorrisinho para mim. Ele pegava o peso e os músculos dele soltavam pelo braço,tudo aquilo estava me torturando. Era como se em cima da minha cabeça houvesse um diabinho e um anjo dizendo:

-Vai lá, de o cú para ele e mostre como é bom comer um homem.

Do outro lado:

-Lembre-se nem tudo na vida é apenas sexo.

Carailho o que eu faço. O tesão e a adrenalina estavam escorrendo por minhas veias e se concentrando em meu pau que estava uma pedra dentro da minha cueca. Eu não sabia a quem eu deveria ceder. A razão ou ao tesão.

Mais uma vez lá estava eu no meio de uma encruzilhada sexual. Ele passou por mim e apenas falou:

-Relaxe e vamos sair para curti. 

Ele saiu em direção a porta e eu fui atrás então ele me explicou o que iria acontecer:

-Eu vou para um motel bem massa,irei entrar só e vou avisar na portaria que estou esperando alguém,assim que eu chegar lá eu te ligarei informando o nome e o endereço pode ser? 

Eu aceitei e dei o numero do meu novo celular. Ele entrou no carro e saiu.
Eu andei a academia toda com e celular na mão. "Toca celular, toca celular,toca celular" eu repetia isso a todo instante. Eu estava sendo consumido pela expectativa.

Finalmente o celular toca, eu logo atendo, era o Pedro informando o nome do motel, o endereço e o quarto onde ele estava.Corri para o vestiário,tomei banho bem rápido e fui.

O motel não era muito longe dalí,ele era bem grande e tinha uma fachada discreta e muito bonita,eu nunca havia entrado em um antes. Parei na porta buzinei e logo aquele portão gigantesco se abre. Alguém atrás de um vidro preto logo diz:

-Pois não senhor.

Eu falei que tinha alguem me esperando e disse o número do quarto. Então eu finalmente entrei naquele lugar,tinha varias casinhas,ou sei lá o que era aquilo era tudo muito quieto (eu imaginava que em motéis teria um monte de gente gemendo, mas não).O silêncio só era quebrado por cantos de uns pássaros. Todo aquele clima de mistério me dava ainda mais tesão. Finalmente eu avisto o número do quarto e o carro do Pedro. Estaciono bem do lado, desço do carro, respiro fundo e vou em direção a porta, naquele momento eu iria dar para o ultimo homem que eu imaginei na vida.
Antes de entrar no quarto resolvi ligar para o Marcos e falei que o amava ai ele respondeu:

-DE ALGUMA FORMA SINTO QUE VOCE É O CARA CERTO SACA? TIPO GOSTO DE VOCE PELO O QUE VOCE É. NÃO TEM ALGO QUE EU MUDARIA EM VOCE, TALVEZ A SUA INDECISÃO. SEI QUE PODERIA FAZER VOCE FELIZ E SE SENTIR AMADO COISAS QUE SEI QUE SÃO IMPORTANTES COISAS QUE NÃO SE EXPLICAM. TE DARIA ROSAS SEM ESPINHOS E BEIJOS GELADO DE NEVORZISMO E POR MAIS QUE EU QUISESSE GRITAR TUDO ISSO PARA O MUNDO OUVIR EU QUERO É FALAR BAIXINHO NO SEU OUVIDO ,POIS É VOCE QUEM EU QUERO QUE SAIBA DISSO.

FIM?