Ads Top

Vestígios de Pimenta: Aventuras Sexuais - Parte 2

Conteudo Inadequado para menores de 18 Anos.

 Quando ele finalmente fechou já veio em minha direção tirando a camisa. O Vitor sentou na cama de casal e eu continuei chupando, ele gemia bem gostoso,o Luan abaixou minha bermuda e deu um tapinha na minha bunda dizendo:
-Vou me acabar nessa bundinha gostosa!
Deu uma chupada bem gostosa no meu cú. Cara o que era aqui que ele tava fazendo?Era bom demais. Ele perguntou ao Vitor onde tinha camisinha e logo o Vitor foi buscar lá no quarto dele. Enquanto isso o Luan chupou meu pau e me deu um beijo na boca e enfiava o dedo no meu cú.
Continuamos nos beijando até que o Vitor entrou com algumas camisinhas na mão e dizendo:
-Ei!Me convidem para festa.
O Luan sentou na cama e eu abrir o zíper da bermuda jeans que ele estava usando, o pau dele era menor que o do Vitor, porém era bem mais grosso. Eu estava me acabando naquele pau, eu mamava com tanto tesão e desejo que parecia que eu estava provando de uma iguaria desconhecida. O Luan pôs a mão e minha cabeça e a empurrou para baixo e o pau dele invadindo toda a minha garganta, quase vomitei, mas continuei a chupar pois não queria perder nada daquele pau. Derrepende eu sinto o pau do Vitor entrando em mim bem devagar, ele segurava com uma das mãos em minha cintura e com a outra ele guiava o pau rumo a mim. Quando finalmente o pau dele entrou ele pôs as duas mãos em meus ombros e meteu bem forte todo aquele pau dentro de mim (confesso que doeu),mas continuei chupando. O Vitor foi metendo cada vez mais forte e gemia um tanto quanto alto, o suor dele pingava em minhas costas e isso me dava um tesão louco ,eu me recusava a acreditar que eu estava transando com dois homens, sendo ambos deuses gregos,um bio-tipo perfeito.
Eu continuava dando para o Vitor e chupando o Luan que logo pediu para trocarmos de posição. Deitei na cama de barriga para cima e o Luan logo veio metendo o pau, ele metia e eu chupava o Vitor (de vez em quando eu parava para beijar o Luan). No ponto alto do sexo eu chupava o Vitor com o Luan metendo e dividindo comigo o pau do Vitor, era um tesão ver ele me comendo e chupando Vitor e me beijando. A cama estava fazendo um som bem alto que se confundia com o gemido do Vitor que não era nada discreto. Finalmente sinto um jato de porra quente dentro da minha boca o Luan tirou minha boca do pau do Vitor e me beijou, achei isso uma tremenda loucura, mas sentir muito tesão e gozei ,e em seguida o Luan. O Vitor me deu um beijo bem gostoso, segurou no meu queixo e disse:
-Você  dá gostoso brother!
E deu um sorriso bem safado que nunca esquecerei.Logo depois o Luan pediu para tomar banho,pois todos nós estávamos encharcados de suor. Ele foi na frente e deixou eu sozinho no quarto como Vitor. O Vitor tem uma cara bem séria, mas só a cara, ele me contou de outras experiências, nessa hora o bipe do meu celular toca e corro até minha bermuda que estava jogada no chão, tiro o cell de um dos bolsos e leio a mensagem do marcos que dizia "ESPERO CONTINUAR TENDO CARONAS SUAS RUMO AS ESTRELAS”, dei uma risadinha e desliguei o celular. Algum tempo depois o Luan entra no quarto apenas de toalha, o Vitor olha para mim e diz:
-Vamos! Agora é nossa vez.


Por mais que a mensagem do marcos houvesse mexido comigo de alguma forma, eu não tinha forças para dizer não para aquele monumento bem esculpido centimetro a centimetro. O banheiro ficava logo ao lado,fomos nas pontas dos pés para que ninguem nos ouvisse ,entramos no banheiro e ele logo me empresou na parede e tirou meu fôlego com um beijo. Ele foi descendo esse beijo pelo meu pescoço até chegar a meu peito, deu uma lambida bem gostosa em meu mamilo e acabou chupando meu pau que a essa altura já estava duro feito pedra. Ele abocanhou meu pau e fazia uns movimentos maravilhosos com a língua que eu me contorcia todo. Por um grande espelho que tinha no banheiro eu via a cena,ele de joelhos no chão me chupando e percebi q ele tinha um escorpião bem grande tatuado nas costas e que costas ele tinha,bem larga e musculosa,costas de macho. Ele se levantou, e agora era minha vez de chupá-lo, chupei ele bem gostoso, chupei as bolas dele e ele dizia "chupa vai gostoso, chupa o seu macho" e eu continuei chupando quando eu percebi q ele ia gozar eu parei. Ele abriu a porta do Box e entramos ele ligou o chuveiro e água morna que batia no corpo dele respingava em mim.
Ele me puxou pelo braço direito e me deu um beijo, a água caia sob as nossas cabeças e isso deixava o beijo ainda mais gostoso, enquanto ele me beijava as suas mãos passeavam pelo meu corpo, meio que fazendo o reconhecimento do território,nossos paus batiam um no outro meio como um duelo de espadas,como estávamos sem camisinhas não rolou nada mais que beijos e oral.
Saímos do Box ele me deu um abraço bem apertado por traz e colocou o seu queixo no meu ombro direito olhou para o espelho e disse:
-Ta vendo aqueles ali?São dois caras loucos que curtiram um ao outro.
Eu meio que não entendi muito bem o que ele queria dizer com isso mas também não o questionei. Entramos no quarto e o Luan já tinha apagado. Como já era quase 5 da manhã nem adiantava mais dormir, então eu pedi a ele para me levar para casa e ele logo se dispôs.
Chegamos à porta da minha casa e agradeci pela noite. Ele sorriu. Quando eu estava descendo ele disse:
-Vai me dar um beijo de despedida não?
Eu dei um selinho.Ele logo falou:
-Guarde os seus selos para as cartas, eu quero é um beijo.
E me beijou... Um beijo bem demorado regado a carinho e tesão...Eu me arrepiava,mas nem fechei os olhos pois estávamos na porta da minha casa e a qualquer momento alguem poderia aparecer e ver tudo aquilo.
Chego em casa deito na cama e penso"que coisa mais louca em menos de uma semana transei com um cara pela primeira vez depois transei com mais dois e lá no fundo tô querendo mais disso tudo".´Peguei meu celular e liguei para Marcos, demorou um pouco e ele atendeu com a voz de quem estava dormindo,perguntei se ele iria a academia e ele falou que sim e perguntou se eu poderia ir busca-lo eu prontamente disse que sim,então ele me deixou mudo ao dizer:
-Cara na boa to na sua.Tudo o que voce quiser eu quero.
Isso fez meu coração encolher e se esconder em um canto escuro do meu peito. Aquilo que ele falou ficou martelando em minha cabeça "tudo o que você quiser eu quero.” Mas afinal o que eu quero?Nem eu sabia.
Eu tinha uma namorada a mais ou menos seis meses, e vi que na minha caixa de e-mail tinha um monte de recados dela dizendo para eu ligar. Poxa agora estou todo perdido no meio dessa confusão sexual. De um lado minha namorada, do outro o Marcos na minha frente o Vitor atrás de mim o Luan e eu no meio sem sabe o que fazer .Eu comecei a achar que essa aventura estava ganhando proporções muito exageradas e em um curto espaço de tempo.
Por volta das Sete e meia da manhã sair para ir buscar o Marcos, cheguei na casa dele e dei um toque no celular,ele logo apareceu na porta,com uma cara não muito agradável,ele entrou no carro me abraçou e perguntou se eu me importaria de faltar naquele dia a academia,eu logo disse que não e perguntei para onde ele queria ir ele só perguntou se ele poderia dirigir. Eu deixei. Ele estava com um óculos escuro sem expressão nenhuma no rosto e de alguma forma isso estava me assustando. Ele começa a percorrer o litoral e já estava em um ponto que eu nem sabia mais onde eu estava, cerca de 40 minutos depois ele para em um lugar muito bonito, era uma praia que eu não conhecia até então. Ele saiu do carro e sentou em um degrau da calçada, sentei ao lado dele e perguntei o que estava acontecendo ai ele começou a desabafar.
Ele estava com problemas em casa. Ele tinha um irmão por parte de pai que pelo o que ele falava fazia da vida dele um verdadeiro inferno. Dei um abraço nele e disse para ele ser forte que tudo aquilo passaria muito em breve. Ele tirou o óculos e me olhou com aqueles olhos verdes bem no fundo dos meus olhos e não falou nada. Andamos pela praia com os pés na beira da água, havia algumas pessoas lá também, não muitas alguns turistas e uns boys surfando.
Sentamos na areia em um lugar bem calmo, ficamos a alguns palmos de distância um do outro, ele disse que o que estava alegrando a vida dele naquele momento era ter me conhecido, pois ele nunca tinha tido nada com homens antes,e que gostou,ele completou dizendo que não gostou apenas por ter sido com um homem,mas sim por ter sido comigo.
Ficamos ali na praia até o cair da tarde,quando estávamos entrando no carro um menino que deveria ter algo por volta dos 7 anos pediu 10 centavos para enteirar para comprar algo para comer,ai ele teve a idéia de levar o menino em um restaurante ali perto e deixou o menino pedir tudo o que ele quisesse. O garotinho parecia um adolescente em um cabaré pela primeira vez... Querendo comer tudo. O menino era bem engraçado e contava umas piadas hilárias que nos fazia rir muito. O clima estava muito agradável até que o menino olhou para ele e perguntou o que eu era dele. Ele respondeu:
-Você acredita que eu também não sei?

Nesse momento ele falou olhando para mim depois pairou um silêncio que gritava logo quebrado por uma das piadas do garotinho. Finalmente o garoto comeu e Marcos deu uma grana para ele e fomos embora, pedi que ele fosse dirigindo novamente,assim que ele entrou no carro me deu um beijo bem calmo porem cheio de sentimentos,eu sentia tudo isso .De alguma forma o beijo dele tinha uma coisa que se tornava único,sentia aquela respiração que sempre que chegava perto de mais ficava ofegante,aquelas mãos que não sabiam direito por onde começar,aquele suor frio que escorria pela nunca dele. Tudo isso fazia dos nossos encontros diferentes.
Durante o caminho de volta ele foi cantarolando uma música que tocava na rádio, mexia em meu cabelo, me olhava e dava um leve sorriso. Aqueles olhos verdes me hipnotizavam me tiravam do chão.
Finalmente o deixei na rua de traz da que ele morava e me despedi com um breve beijo pois tinha umas crianças brincando na rua.
Quando eu estava chegando em casa o meu celular toca era o Vitor,perguntando o que eu iria fazer naquele dia,eu respondi que tinha uns compromissos mas não dei detalhes. Ele entendeu.
Naquele dia eu tinha que sair com a minha namorada, precisava realmente organizar as idéias. Uns minutos depois o Vitor volta a ligar eu logo atendo e ele diz:

-Ei truta ta afim de sair hoje ?
-Não posso tenho que sair com minha namorada.
-Vamos para o cinema?Eu levo a minha e você leva a sua, aproveitamos pra nos ver.
-ok


Eu achei uma boa idéia.
Combinamos de nos encontrar às 20 horas em frente ao cinema do shopping. Liguei para minha namorada e a avisei da programação para aquela noite
Ás 19 e meia estava eu na porta dela buzinando feito um louco,ela estava me fazendo esperar porque não estava encontrando o brinco rosa dela. Vai tomar no cú caralho! Foi justamente isso que eu disse pelo celular. Entrei na casa e mandei a mãe dela avisar que se ela não descesse dentro de 2 minutos que fosse sozinha para o cinema. No mesmo instante ela desceu (ignorância sempre funcionou com ela). Durante o caminho eu mal dava atenção, ela com aqueles papos de mulher "ai meu cabelo, ai meu salto, ai meu anel”, eu estava irado. Chegamos no cinema um pouco atrasados e encontramos o Vitor com uma guria lá na porta,por coincidência nossas namoradas eram amigas da faculdade. Elas escolheram um filme tipo esses de comédia romantica, um porre! Que filme ruim!Chamei o Vitor para ir ao banheiro e deixar aquelas duas lá no puleiro delas. Entramos no banheiro que fica no corredor do cinema e lá só estávamos nós dois e logo o Vitor disse:
-Lugares inusitados me enchem de tesão.
Eu dei uma risada e continuei na minha. Ele entrou em um dos sanitários reservados e disse:
-Vem me dar esse cuzinho aqui.
E abriu o zíper da calça jeans,deixando um pouco a mostra uma cueca vermelha e um pau que estava louco para pular dali. Aquela atitude inesperada estava me dando um tesão louco,mas mesmo assim hesitei em entrar ali,afinal poderíamos ser flagrados e não seria nada agradável se isso acontecesse,mas ele insistiu:
-Cara você vai me deixar nessa é?deixe de ser medroso e vem rebolar aqui.
Do jeito como ele falava isso, olhando com aquela cara safada acho que nem o Brad Pitt diria que não,imagine eu. Entrei no reservado e ele fechou a porta,como tanto eu quanto ele somos bem malhados estávamos quase que espremidos naquele lugar (melhor assim pois sentíamos o corpo um do outro melhor). Tirei a camisa dele e dei uma lambida no mamilo dele e em seguida um beijo na boca,apoiei minhas mãos na parede e ele desceu minha calça e meteu-me sem pena. Eu já estava me acostumando com tudo aquilo entrando em mim, ele metia com tanta força que dava-se para ouvir o barulho do saco dele batendo na minha bunda,quem entrasse ali naquele momento logo se tocaria do que estava acontecendo, mas para nossa sorte ninguém entrou. Enquanto ele metia tocava punheta em mim bem gostoso e mordia minhas costas e meu pescoço. Eu quase que pulava com os impulsos dele metendo,e na verdade o medo de alguém entrar ali foi o que deixou essa transa mais gostosa,pois a adrenalina que corria a velocidade da luz em minhas veias deixava o meu tesão muito mais perceptivo. Ele sentou no sanitário e eu sentei de frente para ele e fui cavalgando bem gostoso dando leves reboladinhas ,pois eu sabia que ele gostava. O único problema dele é que quando ele está com tesão ele começa a gemer muito,mas eu estava com tanto tesão que se alguém entrasse ali eu seria até capaz de chamar para se juntar a nós.
Continuei cavalgando e ele lambendo o meu peito, acabei gozando um litro de porra encima dele. Isso deu tanto tesão nele que ele gozou nesse mesmo instante. Beijei-o e nos vestimos. Ele abriu a porta e saio primeiro. Como ele tinha dado bandeira branca eu também sair. Lavamos as mãos e voltamos para tentar não dormi vendo aquele lixo (ou melhor, filme).
Logo assim que sentamos a minha namorada questiona a nossa demora:
-Cale a boca e preste atenção no filme se não eu vou chamar o lanterninha. (falei em entonação de brincadeira, mas funcionou).
No banco estávamos sentados assim nessa seqüência: A namorada dele,ele, minha namorada e eu. Um tempo depois para minha sorte as pentelhas decidiram ir ao banheiro,eu logo pulei para o banco do lado do dele,ele disfarçadamente me deu a mão por baixo do braço do banco e ficou olhando para mim.
Não sei explicar mais de alguma forma eu sentia algo por ele,mas quando lembrava do Marcos meu coração batia mais forte. E mais uma vez eu acabava no labirinto.
Acabou o filme e nossas "namoradas" continuavam no banheiro, ele ainda brincou dizendo que elas era duas sapatonas bulacheiras e estavam no maior agarro encima da pia (Eu já não duvidava mais de nada na vida). Elas saíram do banheiro bem sérias, assim que minha namorada se aproxima ela logo percebe algo errado e diz:
  -Que marca vermelha é essa aqui no seu pescoço?

Que reação Rafael teve?O que será que vai acontecer entre ele e Marcos?Não deixe de conferir em algumas semanas a Terceira parte desta História, fiquem de olho no Rastag.

Tecnologia do Blogger.