Ads Top

Vestígios de Pimenta: Aventuras Sexuais - Parte 1


Aviso Importante: Sempre é bom lembrar que os Contos Eróticos são IMPRÓPRIOS para MENORES de 18 anos e que o conteúdo dessa história deve ser lido apenas por pessoas que já tenham passado dessa idade, já que palavras constadas aqui podem chocar!. E os contos contados aqui são de amigos e leitores do Rastag que não vão ter sua identidade revelada, se assim preferir, se deliciem em mais um Vestígio de Pimenta,que será contado na primeira pessoa.

Meu nome é Rafael tenho 22 anos e vou agora narrar a minha história .
Tudo começou em novembro de 2006, nessa época a academia na qual eu malho sempre entra um monte de gente nova, e sempre se renova o clima.Eu sou lutador de jiu-jitsu, tudo muito profissional afinal esse é um esporte q eu amo e pelo qual tenho algumas medalhas.
Era uma segunda feira pela manhã algo em torno das 8 horas (esse horário sempre é chato com quase nada para se fazer), quando chegou o meu professor com uma surpresa...Um novato.Ele se chamava Marcos, branco alto com um corpo bem definido, cabelos lisos e olhos verdes, um cara bem bonito (eu nunca havia tido nada com homens, mas alguns me davam um tesão louco e foi isso q eu senti pelo novato). Naquele dia foi com ele que eu treinei, era forte e bem resistente, mas o meu profissionalismo resistiu.
Após o treino fomos para o vestiário e tomamos banho. Ele estava com uma sunga branca que deixava o volume dele bem a mostra (e que volume era aquele?).Eu tentava disfarçar, mas já estava me excitando, vendo aquela água escorrendo pelo o corpo dele estava me deixando louco, havia mais dois caras no vestiário, mas era ele quem estava me tirando o fôlego. Sair do chuveiro antes dele, eu não estava conseguindo me controlar e o meu pau queria pular de dentro da minha sunga.Enquanto eu me vestia ouvi um "ei brother" olhei para traz e era ele enrolado em uma toalha verde mostrando todo aquele peitoral. Perguntou-me se na academia tinha lanchonete eu falei que não, mas que ali próximo tinha uma bem legal. Acabamos de nos vesti e fomos para lá.


No caminho fomos conversando, ele me falou que era do rio grande do sul e que estava no rio na casa do pai que era separado da mãe, ele me falou sua idade (23 anos) e que estava trabalhando em uma transportadora. Chegamos enfim na lanchonete, sentamos e pedimos algo para comer, ele tinha um olhar bem másculo assim como todos os seus gestos, ele tinha um dragão tatuado na parte inferior do braço direito.
Comemos e dei carona a ele até um ponto de ônibus.

Naquele dia tudo o que eu fiz foi pensar nele. Nossa! Eu fiquei louco de vontade de fuder com aquele cara, a todo o momento eu lembrava do volume da sunga dele, que era um convite para o pecado, mas eu sabia que nada aconteceria, pois durante a conversa na lanchonete ele falava muito da mulherada e inclusive paquerou uma garçonete.
No dia seguinte cheguei atrasado e ele já estava lá treinando com um outro aluno (esse outro aluno chamava-se Pedro era um cara alto moreno bem bombado, um dos melhores da academia, mas sempre foi muito preconceituoso e deixava isso bem claro).Treinei nesse dia com outro cara, mas não foi legal.

Acabei de treinar e sentei em um banco no vestiário, logo depois entra Marcos já sem camisa com uma bermuda de tactel vermelha e conforme ele andava ia marcando o volume dele que parecia ter algo enorme ali dentro.Ele sentou do meu lado e começou a falar sobre uns problemas q ele estava tendo com o pai, eu tentava me segurar, mas eu sempre acabava olhando para o volume dele e em uma das vezes ele acabou vendo, mas não comentou.Estavamos apenas nós dois no vestiário e isso acabou me excitando ainda mais.Ele tirou a bermuda e deixou a mostra uma sunga preta bem justa e um tubarão tatuado perto da virilha, mas só dava para ver a metade pois o resto ficava dentro da sunga.Fiquei no chuveiro ao lado do dele, claro, queria conferir tudo aquilo de perto e ele (por mais q eu tentasse disfarçar)estava percebendo q eu não tirava o olho da mala dele.

Ele pegou o sabonete e começou a se ensaboar até q ele puxou um pouco a cueca e passou o sabonete bem nos pentelhos, nessa hora o meu sabonete escapoliu das mãos,(puts que mico),ele olhou para mim com uma cara bem safada e disse:


_Se estivéssemos no exército você sabe o q aconteceria neh?

Quando ele falou isso na mesma hora meu pau subiu, foi inevitável, percebi que ele também estava com um volume fora do normal, parecia está excitado e isso me deixou ainda mais nervoso.Até que ele vendo que eu estava excitado e a ponto de bala disse:


_Cara só nós dois aqui sozinhos em um vestiário... A imaginação flui.
_Eu que o diga. (Disse eu em entonação de indireta, mas totalmente direta.)
_Cara de boa...Ta afim de dar uma chupada?

Não pensei duas vezes.Deixei meus atos responderem por si só. Tirei o pau dele de dentro da sunga (ele não era muito grande, mas era grosso e cabeçudo) e cair de boca. Chupei com todo o tesão que nunca havia sentido. Eu nunca havia mamado um cara antes, mas eu estava adorando tudo aquilo, de repente ouço vozes vindo da direção da porta, logo tirei a boca e continuamos no chuveiro. Entram no vestiário o Pedro e mais dois caras que eu nem conheço. Disfarçamos e tomamos banho normalmente (embora tanto eu quanto eles ainda estivéssemos com um volume bem grande na sunga).Quando eu estava saindo do vestiário ele passou do meu lado e disse:


_Vou querer terminar isso.

Meu coração saltou na hora, eu tava morrendo de tesão naquele cara .Quando eu estava indo embora um instrutor perguntou se eu queria ser personal, pois ele sabia que eu era formado em educação física, e claro que eu aceitei. Fui no escritório da academia acertar umas coisinhas e quando sair Marcos já havia ido embora. Fiquei chateado por não poder terminar o que começamos no vestiário naquele dia, mas também estava feliz pelo emprego novo.

Naquele mesmo dia só que à noite eu tinha que ir para academia, pois seria o meu primeiro dia de trabalho,era tudo muito simples apenas eu iria orientar as pessoas que estavam malhando como usar os aparelhos. Cheguei à noite por volta das 19 horas para começar a trabalhar. Estava orientando um aluno que estava levantando peso, era um cara bem forte, tinha os cabelos castanhos assim como os seus olhos, ele deveria ter algo por volta dos 35, tinha uma beleza e um físico que chamava atenção de muitas mulheres(e de alguns homens como foi o meu caso).Fiquei orientando ele por cerca de 10 minutos, tempo o suficiente para ver a aliança reluzindo no dedo dele, (mas eu confesso que eu não fiquei interessado nele afinal quem eu queria era o outro).
Sair da academia por volta das 23 e meia e fui direto para casa, no caminha vejo em um ponto de ônibus o Marcos, com uma camisa regata preta e uma bermuda branca, (nossa que homem era aquele?).Parei o carro abaixei o vidro e perguntei:

_Quer carona brother.

Ele logo respondeu que sim e entrou no carro. Fomos conversando sobre vários assuntos, e eu esperando ele tocar no assunto do vestiário e nada. Parei o carro em um sinal, só que ai eu me toquei de uma coisa, eu estava dando carona a ele mas eu nem perguntei para onde ele iria ai eu perguntei onde ele morava,e em entonação de zombação falou:

_como é que você dar carona á uma pessoa q você nem sabe pra onde vai?
Eu dei apenas uma risadinha ele continuou:
_você estava me levando para algum lugar em especial?
Eu logo respondi:
_porque você quer ir para algum lugar?E passei a mão na coxa dele esquerda.
_Cara pode ser.
Parei o carro em uma rua escura e pulei para o banco de traz, ele logo passou para traz também e me deu um beijo bem gostoso (foi o meu primeiro beijo em um homem e, diga-se de passagem, foi melhor do que todos os que eu já havia dado na vida).Ele parou o beijo e logo disse:
_vem pagar um boquete para mim.

Ele abriu a bermuda e pôs para fora aquele pauzão, eu logo cair de boca,o pau dele latejava dentro da minha boca. Ele gemia bem baixinho e de vez em quando falava "como você mama gostoso” e isso me dava ainda mais tesão, ele tirava o pau da minha boca e dava leves batidas com em minha cara e mandava eu chupar mais. Continuei chupando até q ele disse:

_Agora eu quero comer o seu cuzinho me mostra ele.

Não exitei, tirei a minha bermuda e sentei no pau dele (confesso que doeu um pouco, mas o tesão era tanto que em nenhum momento pensei em parar).Ele estava me segurando pela sintura em quanto eu cavalgava, ele pediu para eu dar uma reboladinha e logo atendi. Enquanto eu cavalgava, ele começou a bater uma em mim, fui acelerando e sentindo cada vez mais o pau dele me rasgando por dentro foi ai que ele gozou e eu senti a porra quentinha dentro de mim.Logo depois eu gozei em minha própria barriga ainda como pau dele dentro de mim. Limpei com a minha camisa e passei para o banco da frente.

Enquanto eu dirigia ele ia passando as mãos em meus cabelos, me fazendo carinho.10 minutos depois cheguei perto da casa dele,parei em uma rua que fica bem próximo,pois ele não queria ser visto descendo de um carro a uma hora daquelas. Ele pediu o número do meu celular e logo eu dei, ele o anotou em seu celular. Deu-me um beijo bem rápido e desceu. Fui para casa me perguntando se tudo aquilo teria acontecido de verdade. Eu estava nas nuvens.
Assim que cheguei em casa logo fui tomar banho e acabei batendo uma na intenção dele.
Peguei algo para comer e fui para sala ver tv, todos em minha casa estavam dormindo, eu acabei pegando no sono, acordei com o bipe do meu celular, quando olho era uma mensagem que dizia: "ADOREI A CARONA".Fiquei rindo como um bobo.

No dia seguinte não tinha treino então iríamos apenas malhar. Eu cheguei bem cedo e logo perguntei ao Pedro se marcos havia chegado, para minha decepção ainda não. Comecei a malhar e foi quando eu vi marcos subindo as escadarias da academia. Uma grande felicidade tomou conta de mim. Ele me cumprimentou e me deu um sorriso bem safado (não poderíamos dar bandeira ali). Durante a malhação sempre os nossos olhares se cruzavam e ele sempre disfarçava com um leve sorriso de canto de boca.
Acabei de malhar e logo fui para o vestiário só fui trocar de blusa, pois eu tinha que correr para pegar minha irmã no cursinho pré-vestibular (irmãos são fóda). Só tinha eu no vestiário, quanto eu estava saindo ele estava entrando e logo perguntou:

_Que pressa é essa?você pode fugir mas não se esconder.

E deu um sorrisinho bem safado. Expliquei a ele que tinha q ir pegar a minha irmã no cursinho ele me puxou pelo braço e me deu um beijo. Eu logo interrompi o beijo e disse:

_você é louco?Pode entrar alguém aqui.

Ele olhou para mim com aqueles olhos verdes, deu um leve sorriso, e eu sair do vestiário.


Entrei no meu carro e quando eu iria dar a partida o bipe do meu celular toca, pego e vejo uma mensagem dele que dizia "claro que sou louco, e loucuras com você eu quero fazer sempre". Fui buscar a minha irmã nesse dia feito um bobo todo feliz ela até estranhou eu não ter reclamado por ter que ir buscá-la (pois eu sempre faço isso),ela me perguntou se eu tinha visto um elefante verde eu logo respondi:

_ A única coisa estou vendo aqui é a sua cara feia de porco espinho.
Nesse dia cheguei em casa deitei na cama e comecei a pensar em toda aquela loucura que estava acontecendo. Eu não parava de pensar naquele cara, cada centímetro dele me seduzia. O jeito de ele olhar era único e inexplicável, me desarmava e me deixava louco de tesão.
Fui trabalhar às 19 horas como eu tinha feito anteriormente. Cheguei na academia e logo fui instruído que a minha função naquele dia era apenas ajudar a treinar um cara que estava se preparando para um campeonato de judô. Fui até o tal cara me apresentei e ele fez o mesmo. O nome dele era Vitor um cara moreno claro bem bromzeado cabelos pretos que estavam escondidos por um boné preto virado para traz, os braços bem malhados com uma tatoo grande no direito, coxas bem grossas e uma bundinha bem redonda, era um cara perfeito, porem, muito sério. Fiquei ao lado dele a noite toda o ajudando (e claro que apreciando).Quando ele acabou o treino era cerca das 10 da noite,fomos juntos rumo a saída da academia quando ele me perguntou:

_Vai fazer o que agora brow?
Eu respondi:
_Para casa dormir.
Ele deu uma risadinha e disse:
_Ah cara deixe de ser fraco. Combinei com uns amigos de irmos todos para um bar que fica um pouco próximo da minha casa, é que um truta meu ta de viagem marcada ai vai rolar a despedida dele.Você topa?

Eu aceitei, mas disse que teria que passar em minha casa para pegar o meu celular que naquele dia eu havia esquecido. Fomos rumo a minha casa cada um em seu carro, algum tempo depois chegamos lá mandei entrar e logo ele atendeu. A minha mãe estava na sala assistindo aqueles seriados ridículos que sempre passam no sbt. Assim que ela percebeu que eu havia levado visitas à uma hora daquelas ela meio que estranhou,apresentei ele a ela e falei que iria a uma festa com ele (se eu dissesse que iria a uma bar aquela hora da noite ela alem de não deixar eu ir , falaria a bessa),mesmo eu dizendo que era uma festa e tal,ela me encheu de perguntas e pediu para eu deixar o carro na garagem ,pois caso eu bebesse não iria enfiar o carro no primeiro poste q eu visse na frente (minha mãe é bem dramática).Subi e fui para o meu quarto e deixei ele conversando com a minha mãe e minha irmã, coloquei uma bermuda preta e uma camisa vermelha e desci. Quando cheguei lá ele ainda tava no maior papo com a minha mãe.
Nos despedimos da minha mãe e entrei no carro dele (que diga-se de passagem estava uma zona).Estávamos conversando quando o meu celular toca,quando olho era o Marcos.

Atendi disfaçadamente dizendo:

_E ai brother beleza?

Ele logo disse:

_Cara estou aqui sozinho em casa com o pau durasso em minhas mãos querendo meter na sua bundinha de novo.


Fiquei meio que sem jeito e com medo do Vitor ouvir tudo aquilo. Eu falei que estava indo a um bar com um amigo da academia e que naquele dia infelizmente não iria rolar. Ele terminou a conversa dizendo:

_Que pena, pois eu estava loucão de vontade de te por para cavalgar bem gostoso.

Meu pau na mesma hora subiu, ouvir aquela voz bem máscula me dizendo tudo aquilo só seria melhor se fosse baixinho em meu ouvido pessoalmente. Logo depois ele desligou.
Continuei a conversar com o Vitor e de vez em quando eu olhava para mala dele que estava bem marcada, uma tentação. Ele tinha uma boquinha bem pequena e uns lábios bem desenhados,tinha os olhos em um castanho cor de mel só que meio esverdeado. E uma cara de safado dilacerador anal que me atiçava.

Chegamos na casa dele e ele mandou eu entrar, entrei e vi que alem dele a perfeição também estava presente na decoração. Era uma casa onde predominava o branco. Ele ligou a tv e pediu para eu sentar no sofá, logo depois veio à mãe dele que é muito simpática e começou a conversar comigo como se me conhecesse há anos. Ela me fez umas perguntas tipo se eu era lutador também e eu respondi que sim ,mas que eu era de outra modalidade. Não demorou muito e aparece o Vitor e logo atraz dele vinha um Pit Bull que me fez tremer só em olhar,mas o cachorro estava com mais medo que eu, era todo brincalhão. Vendo a cena a mãe dele disse:

_Olha o kenon (nome do cachorro) gostou de você .Eu também gostei dele e do gostoso do seu filho ( na verdade isso eu só pensei).

Entramos em outro carro que estava na garagem, era um carro grande e bem bonito,muito confortável,haviam vários cds ali dentro,grande parte deles internacionais fui fuçando os cds e vi que ele ouvia coisas do tipo ,my chamical romance,blink 182,timberland e até achei um cd da Madonna (quem num gosta da rainha do pop neh?) Eu imaginava que no bar teriam mais uns 3 caras amigos deles comemorando,chegando lá mera ilusão. Tinha uns 10 caras todos muito musculosos e cada um mais gostoso que o outro, assim q descemos do carro a galera fez a maior zuação alguns já estavam até bêbados. Os caras eram todos muito gente fina e conforme o álcool foi pegando na galera os assuntos de ex-namoradas e mulher foram aumentando.

Por volta das duas horas da manhã o dono do bar nos avisou que já estava fechando (para nossa tristeza), quase todos estavam bêbados menos eu e o Vitor que só estava levemente embriagado. Fomos embora, eu fui dirigindo o carro e ele foi falando o caminho, pois eu não lembrava direito. Assim q cheguei na casa dele ele abriu o portão que era automático e logo a luz do quarto da mãe dele ascende. Estacionei e o ajudei a abrir a porta. A mãe dele já estava na sala e percebeu que ele estava meio aéreo, e mandou ele ir tomar banho. Sentei no sofá e falei a ela que eu precisava ligar para um táxi e ela logo disse:

_Não! Fique aqui essa noite, pois há essa hora fica arriscado você sair.
Eu aceitei ficar. Enquanto conversávamos ouvimos uma busina, ela foi atender, algum tempo depois ela entra na sala com um dos caras que estavam na mesa do bar bebendo. Ele falou que havia perdido a chave e como ele morava só não queria arrombar a porta aquela hora da noite então resolveu ir para lá. Esse cara que chegou chamava-se Luan. Ele era branco malhado era bem bonito e muito legal. A mãe do Vitor falou que só havia um quarto disponível para nós dois e perguntou se nós nos incomodaríamos de dividi-lo (Mas tem que ser muito burro para se incomodar de dormi com um homem daquele ,eu pensei) ,ele logo disse que não desde que eu não roncasse. (com a boca ocupada não teria como roncar hehe).


Fui para o tal quarto que ficava no fim de um corredor gigantesco. Lá tinha uma cama de solteiro e outra de casal. Como eu cheguei primeiro fui para a de casal nada mais óbvio. Sentei na cama e pensei "puts estou na casa de um cara que conheci naquele mesmo dia com outro gostoso que vai ficar no mesmo quarto que eu e terei que me segurar à noite toda para não voar encima dele". Uns 5 minutos depois entra no quarto Vitor e Luan rindo de alguma coisa q eu nem faço idéia do que. Começamos todos a conversar e ficamos nessa por um tempo até que o Vitor falou uma coisa que me surpreendeu:

_Cara quando eu bebo eu fico com o pau durão parecendo que vai explodir.

Enquanto ele falava ele pegava no pau que realmente estava durasso. O Luan logo falou:

_Larga de ser viado sua bichinha, vá com esse pauzinho pra lá.

Então o Vitor falou:

_pauzinho. Você acha isso um pauzinho?

Nessa hora ele colocou o pau para fora. Ele realmente era bem grande, mas não muito grosso, tinha um cabeção bem vermelho e estava todo depilado. Eu fiquei sem ação, nem ri eu conseguir eu estava com tesão e isso estava escrito na minha testa.
Ele se aproximou de mim com aquele pau na mão e disse:

_fala sério cara,diga a verdade meu pau neh lindo?

A resposta estava na ponta da língua, mas nem deu tempo de dizer nada quando o luan disse:

_E ae brother encara?...Vai cara de uma chupada ai no brother.

Nossa! Eu não sei se era verdade ou se eu estava bêbado de ouvir aquilo. O Vitor inssistiu, mas não muito,logo eu peguei aquele pauzão e chupei todo,enquanto eu chupava o Luan se encarregou de fechar a porta.


E aí gostaram da primeira parte desse conto? Não perca em algumas semanas a Segunda Parte aqui na coluna (VDE Pimenta) Vestígios de Pimenta.
Tecnologia do Blogger.